Quatro mil pessoas, em Penela, no Dia Catequístico Diocesano

Categoria de topo: Correio de Coimbra
 Categoria: Regiões
 Publicado em terça, 24 abril 2012 14:31
 Escrito por Miguel Cotrim

“Este dia foi maravilhoso”

– afirmou o Bispo de Coimbra no encerramento do encontro

“Este dia foi maravilhoso”, destacou o Bispo de Coimbra no encerramento do Dia Catequístico Diocesano, que este ano teve como cenário, a bela vila de Penela. A organização não podia estar mais bem-sucedida por este encontro que albergou cerca de quatro mil pessoas, entre as quais crianças, catequistas e pais que teve como finalidade reunir em convívio toda a comunidade cristã da Diocese de Coimbra e mostrar aos cépticos que somos uma “Igreja Viva”.
D. Virgílio Antunes não escondeu a sua satisfação por ter presidido à celebração eucarística rodeado de centenas de crianças. Agradeceu ao Secretariado Diocesano da Evangelização e Catequese, na pessoa do seu responsável Padre Rodolfo Leite por esta grandiosa iniciativa.
D. Virgílio pediu no fim da celebração, às crianças que frequentam a catequese, para que este dia permaneça por muito tempo nas memórias. “Nos dias em que estiverem mais desanimados e que vos apetecerem desistir (da catequese) não se esqueçam da vivência deste dia, aqui passado em Penela”. “Nós não desistimos!”, exclamou antes da bênção final.Na sua homilia, D. Virgílio falou da crucificação, morte e ressurreição de Jesus. Ao fazer referência à liturgia que assinalou o terceiro domingo de Páscoa, o prelado explicou que o pecado levou Jesus a ser crucificado. “Todos temos medo da morte. É estranho como temos tanto medo da morte e fazemos depois coisas que nos levam à morte”, referiu em palavras simples, de modo a que as crianças presentes no Pavilhão Desportivo Municipal de Penela percebessem a mensagem. “Eu desejo que vocês quando crescerem não façam nada para que levem os outros à cruz, ao sofrimento e à morte”.

“Entendo que muitas vezes não vos apetece ir à missa ao domingo, porque é mais apetecível ir passear ou ficar em casa…mas não se podem esquecer que Jesus é o vosso amigo e Ele ama-vos”, afirmou.
Sobre a Semana das Vocações que a Igreja comemora até ao próximo domingo, D. Virgílio destacou a importância do anúncio da Ressurreição de Jesus, feita pelos seus discípulos actuais, realçando o papel fundamental dos pais, catequistas e sacerdotes.
Por fim, D. Virgílio interpelou os meninos que frequentam a catequese a serem generosos, à semelhança dos discípulos de Jesus: “Não sei se haverá aqui na assembleia um menino que queira ser padre, que tenha um coração grande e generoso, com capacidade para dizer aos outros que Jesus Ressuscitou?”
Dirigindo-se aos catequistas e pais presentes, pediu-lhes para os ajudarem a procurarem essa resposta que requer alguma reflexão.
O Dia Catequístico Diocesano teve início logo pela manhã com diversas activididades espalhadas pela vila de Penela dirigidas essencialmente às crianças. Para os mais adultos, decorreu no Pavilhão Multiusos um colóquio subordinado ao tema “Caridade: fonte, tarefa e meta da catequese” com a participação de Rosário Carneiro, João Paiva e D. Virgílio Antunes. À tarde, antes da celebração eucarística, houve ainda espaço para um momento de divertimento com a presença em palco do Padre João Paulo Vaz, do mágico Nuno André, do Grupo de Teatro do Colégio de São Teotónio, etc.
Um dia bem passado em família, que ficará por certo, na memória de muitos, como um dos encontros mais participado de sempre.

Diocese de Coimbra procura reconhecer o trabalho dos catequistas

Em jeito de balanço, João Marques que pertence ao Secretariado Diocesano de Evangelização e Catequese, destacou este evento como “a grande festa anual da família da Catequese da Diocese de Coimbra”.
Neste dia pretende-se encerrar a caminhada realizada pelos catequistas de toda a diocese relativamente à temática do ano pastoral 2011-2012 do SDEC: “A Caridade: Fonte, Tarefa e Meta da Catequese”.
Segundo João Marques, “a caridade é um desafio ao estilo de vida do catequista: não se trata apenas do acto de dar ou ajudar os mais necessitados (nomeadamente em termos económicos, que são cada vez mais nos dias que correm), mas sim de uma relação amorosa com Deus e com os outros, dando realidade prática ao mandamento «Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei»”, destacou o responsável à nossa reportagem. “Esta é uma caminhada que nunca pode terminar, mas que tem de ser feita continuamente por cada um de nós”.
Com o Dia Catequístico Diocesano, o SDEC, e através dele, a Diocese de Coimbra, pretende reconhecer o trabalho incansável, generoso e totalmente voluntário e gratuito que pelas paróquias da diocese é desenvolvido pelos cerca de quatro mil catequistas, que servem de verdadeiros transmissores da fé aos cerca de 60000 catequizandos (entre crianças, adolescentes e jovens).
Trata-se, igualmente, de reconhecer o papel preponderante que a catequese tem na dinamização de todas as paróquias, quer em termos de actividades pastorais, quer ao nível celebrativo.
De facto, é a Catequese a base da dinâmica de cada paróquia, é aquele sector pastoral que mais activo está e se mantém durante todo o ano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s