Família, berço do Amor e da Vida!

Caros leitores, que bom saber que tudo vai caminhando, apesar das situações tão turbulentas em que estamos vivendo no tempo presente, mas um dos problemas mais graves da sociedade atual é a perda de valores e a desestruturação da família: a fácil ruptura entre marido e mulher e a difícil relação entre pais e filhos, que afetam o coração da família e todas as suas consequências. Apesar do rompimento familiar, queremos também louvar e agradecer a Deus por todas as famílias que são sagradas, pois geram amor e cuidam da vida.

Neste ano 2014, somos convidados a contemplar a “Família, berço do Amor e da Vida” com a Pastoral da Família Interparoquial, queremos refletir e questionar as nossas famílias com indicações práticas para nos ajudar a construir famílias cristãs mais felizes, que sejam espaços de encontro, de partilha, de fraternidade, de amor verdadeiro, onde prevaleçam sempre o amor e a vida.

Quando falamos em família como cristãos, trazemos em mente a Sagrada Família, que é uma família como qualquer outra família de ontem, de hoje ou de amanhã, que se defronta com crises, dificuldades e contrariedades, no entanto, é uma família unida e solidária, nela existe o verdadeiro amor, harmonia e solidariedade. Não hesita enfrentar os perigos do deserto e o desconforto do exílio, quando um de seus membros corre riscos. Os problemas de um são problemas de todos, que geram a compreensão, a comunhão e a unidade.

A família cristã de hoje, perdeu muito da sensibilidade do tempo de oração, da participação na Eucaristia, e, por fim, a escuta da Palavra de Deus, onde se aprende a ler os sinais de Deus e da vida. É urgente voltar a rezar e escutar, porque essa oração e escuta, ajudam a encontrar soluções para vencer as contrariedades e descobrir caminhos a percorrer, para assegurar a vida e o futuro dos seus membros.

Diante das indicações de Deus, não rejeita e nem mesmo teme os desígnios do Senhor. No cumprimento obediente aos projetos de Deus, esta família assegura um futuro de vida, de tranqüilidade, de harmonia e paz, o que, realmente, se torna riqueza familiar.

Costuma-se dizer que a Sagrada Família é modelo da família cristã, não tanto em seu contexto sociocultural e histórico, tão distante do nosso, mas sim, quanto seus valores fundamentais, especialmente o Amor e a vida, que lhe deram coesão, significado e missão de salvação nos planos de Deus.

No contexto atual, a família é uma instituição em mudança constante, contudo, não podemos perder de vista, que a família é a célula base da Igreja e da sociedade. Apesar de estar passando por uma transformação profunda, é uma instituição divina, por isso permanente, entretanto, o modo de viver em família pode mudar através dos tempos.

Na Família do Passado, primava a relação vertical: uma instituição fechada, de cunho patriarcal. O Pai detinha a autoridade e era responsável pela economia e sustento familiar. A Mãe atendia aos afazeres domésticos e cuidava da educação dos filhos, que eram numerosos. Os filhos, por sua vez, sempre submetidos à autoridade paterna.

Na Família Atual, primam as relações horizontais dentro da família: dá-se preferência ao diálogo, à co-responsabilidade, à igualdade, ao companheirismo e à amizade entre marido e esposa, entre pais e filhos. Entretanto, a família sofre hoje muitas influências negativas e muitos fatores de desagregação: os vícios, a falta de respeito e compromisso… De fato, vive-se numa sociedade em que, com facilidade, os mais idosos são marginalizados. Fechados em instituições ou abandonados na sua própria casa, os mais velhos são votados à solidão. No entanto, a família, precisa de valores de comunhão interpessoal de Amor: amor incondicional, fiel, único, exclusivo, totalizante e para sempre…

Os Filhos não são vistos como propriedade ou bens adquiridos para o egoísmo possessivo de seus pais, mas como vida e prolongamento vital de um amor pessoal, que educa e orienta para a liberdade responsável e o compromisso: “a família é a fonte da vida e o berço da fé” (Beato João Paulo II).

A Comunidade precisa tomar consciência desta missão de estar aberta aos valores cristãos evangélicos: a solidariedade, a responsabilidade, a fraternidade, a harmonia, a confiança entre os familiares e o compromisso com os direitos humanos…

A Igreja doméstica, que é a família, tem um grande desafio e compromisso de comunidade de amor: porque só assim a família cristã testemunhará a fé, a esperança e a caridade. Uma Igreja doméstica que contribui para a santificação da sociedade, a partir de dentro, à maneira de fermento. E, por fim, continuamos nos perguntando e “a nossa família, como vai?”. Que Jesus, Maria e José, continuem intercedendo para que a nossa família seja sinal de amor.

Padre Laudo Corrêa

One thought on “Família, berço do Amor e da Vida!

  1. Hi karo friend Laudo Corrêa apesar das diferenças de credo religioso nós nos conhecemos desde pequenos… primo pela família, tolerância em graus satisfatórios em vários meandros de acomodações de pensamento… td de bom pra vc Deus é O Ser Supremo que nos une e Jesus Seu Filho, uma pessoa incomparável em todos os tempos épocas e espaço, Ele é Eterno, existia desde a fundação do mundo…. nenhum homem pode tecer explicações que o abranja no seu todo, Deus Homem, que se entregou por todos nós….. Laudo no momento tb tenho as minhas limitações como ser completo do homem espírito, alma e corpo, mas podemos continuar bons amigos, falando sobre lugares, pessoas e idéias especiais sobre o nosso tempo abçs… seu vizinho de infância Elizeu ( estou formado em Pedagogia e sou funcionário público aki no Estado de São Paulo) abçs felicidades….

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s